Dados

Compromisso Social

Suportada num esforço financeiro continuado, tendo em vista a redução da sinistralidade, a REFER nos últimos 14 anos suprimiu 1462 passagens de nível (PN), das quais 541 através de passagens desniveladas e 750 por caminhos alternativos, e adequado as condições de segurança (reclassificação) em 687 atravessamentos, com um investimento na ordem dos 345 milhões de euros. No mesmo período reduziu-se o índice de PN/km de 0,89 para 0,342 (valor inferior ao de referência europeu).

Desde 2013 que a maioria das PN existentes na rede ferroviária nacional (RFN) estão dotadas de equipamentos de proteção ativa (guardadas e automatizadas).

No final de 2013 existiam na rede ferroviária em exploração 870 passagens de nível:
356 automatizadas, 45 guardadas, 245 sem guarda, 135 para usos exclusivo de peões (27 das quais automatizadas) e 89 de uso particular (8 das quais automatizadas).

Nos últimos 14 anos, a sinistralidade foi reduzida em cerca de 83%, tendo mesmo sido superada a meta fixada para 2015, que previa menos de 29 acidentes.

metas



Apesar dos resultados motivadores, o compromisso que assumimos com a redução da sinistralidade em passagens de nível tem-nos levado a explorar novos caminhos e a introduzir soluções tecnológicas que concorrem para o incremento das condições de segurança ativa.

 

Sabia que...?

Os comboios têm sempre prioridade em relação a qualquer outro veículo.

Um automóvel a circular a 90km/h necessita de 60m para parar; um comboio a circular à mesma velocidade necessita de 600m.

Os comboios podem circular em qualquer sentido e circulam sempre a uma velocidade maior do que aquela que aparentam.

Os comboios podem ter uma massa superior a 2000 toneladas; é a mesma proporção de um carro para uma lata de refrigerantes.